Somos alunos da escola Cidade de Castelo Branco, do 9.º ano da turma A. Construímos este Blog com a finalidade de mostrar a nossa sabedoria sobre a História.

17
Nov 08

 

Prisioneiros ingleses e portugueses, após a batalha de La Lys.
 

 Soldados nas trincheiras, em La Lys.

 

 

A guerra na Flandres pela historiografia britânica e alemã, deu-se entre 9 e 29 de Abril de 1918, no vale da ribeira da La Lys, sector de Ypres, na região da Flandres, na Bélgica.

Nesta batalha, que marcou a participação de Portugal na Primeira Guerra Mundial, os exércitos alemães, provocaram uma estrondosa derrota às tropas portuguesas, constituindo a maior catástrofe militar portuguesa depois da batalha de Alcácer-Quibir, em 1578.
A frente de combate distribuía-se numa extensa linha de 55 quilómetros, entre as localidades de Gravelle e de Armentières, guarnecida pelo 11° Corpo Britânico, com cerca de 84.000 homens, entre os quais se compreendia a 2ª divisão do Corpo Expedicionário Português (CEP), constituída por cerca de 20 000 homens, dos quais somente pouco mais de 15 000 estavam nas primeiras linhas, comandados pelo general Gomes da Costa. Esta linha viu-se impotente para sustentar o embate de oito divisões do 6º Exército Alemão, com cerca de 55 000 homens comandados pelo general Ferdinand von Quast (1850-1934). Essa ofensiva alemã, montada por Erich Ludendorff, ficou conhecida como ofensiva "Georgette" e visava a tomada de Calais e Boulogne-sur-Mer. As tropas portuguesas, em apenas quatro horas de batalha, perderam cerca de 7.500 homens entre mortos, feridos, desaparecidos e prisioneiros, ou seja mais de um terço dos efectivos, entre os quais 327 oficiais.

 

 

O horror da guerra, na Flandres.

 
O Corpo Expedicionário Português (CEP) foi a principal força militar que Portugal, durante a 1ª Guerra Mundial, enviou para França, com a finalidade de, através da sua participação activa no esforço de guerra contra a Alemanha, conseguir tirar dividendos no final desta.
De notar que Portugal também enviou para França uma outra força, mais reduzida e menos famosa: o Corpo de Artilharia Pesada Independente (CAPI). O CAPI destinou-se a responder a um pedido de ajuda francesa, ficando sob comando do Exército Francês, sendo aí conhecido por Corps de Artillerie Lourde Portugaise (CALP) e tendo operado artilharia super-pesada de caminho de ferro, com obuses de 320 mm, 240 mm e 190 mm. A partida de milhares de homens para a Flandres gerou, no entanto, descontentamentos nacionais, avolumados pelos enormes gastos a suportar pelo governo.

 

Os Generais do CEP: Tamagnini, Hacking e Gomes da Costa.

 

Em 1916, foi organizado um Corpo Expedicionário Português (CEP), sob o comando do General Tamagnini. Em Fevereiro de 1917, as primeiras tropas portuguesas desembarcadas entravam em posição no sector de Thérouane, na Flandres.
Numa primeira fase, as tropas do CEP foram colocadas junto do Exército Inglês, tendo de seguida passado à sua primeira experiência no quotidiano das trincheiras.
De Fevereiro de 1917 à Primavera de 1918, o tempo foi-se desenrolando entre bombardeamentos de artilharia e assaltos às linhas inimigas. Uma das batalhas em que o CEP participou foi a Batalha de La Lys.
Esta batalha ocorreu entre 9 e 29 de Abril de 1918, no vale da ribeira da La Lys, na região da Flandres, na Bélgica. Ela marcou a participação de Portugal na Primeira Guerra Mundial, pois os exércitos alemães provocaram uma estrondosa derrota às tropas portuguesas.
A frente de combate tinha cerca de 55 quilómetros, estava localizada entre as localidades de Gravelle e de Armentiéres, abastecida pelo 11° Corpo Britânico, com cerca de 84 000 homens, entre os quais se compreendia a 2ª divisão do Corpo Expedicionário Português (CEP) numa frente de aproximadamente 20 quilómetros, constituída por cerca de 20 000 homens, dos quais pouco mais de 15 000 estavam nas primeiras linhas, comandados pelo general Gomes da Costa. As tropas portuguesas, em apenas quatro horas de batalha, sofreram cerca de 1341 mortos, 4626 feridos, 1932 desaparecidos e 7740 prisioneiros, ou seja, mais de um terço dos efectivos, entre os quais 327 oficiais
.

 

Esquema da batalha de La Lys.

 

 

Hélder Rodrigues

publicado por turma9a-ap às 18:27

Achei muito interessante o vosso trabalho :)
Podiam ajudar-me? Precisava de uma lista onde estivessem os nomes daqueles que participaram na Iª guerra mundial.

obrigada :)
Joana Costa a 2 de Novembro de 2009 às 18:48

arquivos
pesquisar
 
blogs SAPO