Somos alunos da escola Cidade de Castelo Branco, do 9.º ano da turma A. Construímos este Blog com a finalidade de mostrar a nossa sabedoria sobre a História.

30
Out 08

 

 

Esta organização foi fundada por iniciativa de Jean Henri Dunant, em 1863, sob o nome de Comité Internacional para ajuda aos militares feridos, designação alterada, a partir de 1876, para Comité Internacional da Cruz Vermelha, universalmente conhecido como Cruz Vermelha, ou Crescente Vermelho.

No começo da Primeira Guerra Mundial, o Comité da Cruz Vermelha abriu a Agência Internacional de Prisioneiros de Guerra em Genebra, com um quadro de cerca de 1200 pessoas, a maior parte delas voluntários. Delegações do comité visitaram os campos de internamento, conseguiram recursos para a evacuação de civis de áreas ocupadas no norte da França, e a repatriação, ou acomodação em países neutros, de doentes, combatentes feridos e pessoal médico.

 

 

 

Catarina Rodrigues

publicado por turma9a-ap às 21:47

         

                Motte

 
Quando entrei fiquei pasmado                                                                             
No cemitério fis parada
Em uma lâmpada de calada
Em nossa tamba sentado
Pamdo voltas a garganta
Que o teu rosto querou
Abdo farte de correr
Em procura da tua campa
 
E o homem para mim olhou
Com os seus braços erguidos
Com os cabelos caídos
Como noi mundo andou
Assanta eras se a braçou
Que sobre o mundo chorou
E mais me bem que to adoro
do mistério teus a palma
junta ta a minha alma
Por quem o mau coração chora
 
Deixa vir a minha artelharia
Que seu ela não faço nada
Tenho a guerra clarada
Mais um esquadrão de cavalaria
Tanho mas a bela infantaria
Nada temos que temer
Bem podias França vencer
Que te tínhamos bem segura
Nos temos toda a agricoltora
Nada temos que temer
 
Os capitães ingleses
Disem ter tantos caprichos
Nos tem dado tanta vês
Os pobres aos portugueses
Engole bichos inteiros
E comendo aos cozinheiros
Que o bacalhão que mais molho
Mande deitar mais repolho
Na sopa dos passageiros
 
Neçe luta destemida
Lutar sempre soldados
Destruí eses malvados
Deça nação a trevida
Defendei a pátria querida
 
Pois que nos sovi o fendido
Não nos julgueis perdidos
Mas sim vitoriozos
Derrotae esses bandidos
Tente sabes defender
Prante esses estuvados
Que são portodos derofidoz
Para com elles combater
Sua sentesa e perder
Nessa batalha horrorosa
Pouis que vos souis valorozos
Ao lado dessa gentalha
Desbasta tua metralha
Mostra que espadroza
 
Ditoso irei morrer
Naquele campo da batalha
Vou mostrar a esa gentelha
Que o portogues pode valer
Para frente não tremer
Coragem ate ao fim
Ninguém tenha do de mim
Vou partir sem demora
Adeuos a pátria vou me embora
Para a França combater
 
Quero vir ao som da portuguesa
Para a guerra caminhar
Para aluta irei marchar
Contando a marcelheza
Sera grande a minha fremeza
Não me eide arepender
Minha vida vou perder
Comgrande satisfação
E com maior galardão
Pela França quero morrer
 
José Nunes da Silva,
natural de Oleiros
soldado de artilharia na Grande Guerra, em Moçambique
 

 

Andreia Caetano

Sofia Conde

publicado por turma9a-ap às 21:19

29
Out 08

O Gás de Mostarda é um agente químico, geralmente utilizado por forças policiais e militares. Foi produzido pela primeira vez em 1822 na Inglaterra, mas só foi usado como arma química, mais tarde. As consequências que este gás apresenta são: irritações nos olhos, feridas na pele, cegueira, o rompimento dos vasos sanguíneos e por vezes os pulmões podem ficar afectados para toda a vida. Se for inalado pode matar por asfixia entre 3 a 5 minutos se estiver em contacto directo com o mesmo. Este agente químico é uma substância incolor, liquida, oleosa e muito solúvel em água. À temperatura ambiente de 25ºC pode ser utilizado de maneira perigosa.Na 1.ª Guerra Mundial (entre 1914-1918) o Gás de Mostarda foi usado pelos alemães, contra os inimigos. Dessa guerra resultaram mais de 100 mil mortos.

 

Baixas provocadas pelo gás
na Grande Guerra (1914-1918)
Países:
Total de atingidos:
Mortos:
Grã-Bretanha
188.706
8.109
França
190.000
8.000
EUA
72.807
1.462
Itália
60.000
4.627
Rússia
475.340
56.000
Império alemão
200.000
9.000
Austro-húngaro
100.000
3.000
Outros
10.000
1.000
Total
1.296.853
91.198

 

 

 

 

 

Mariana Gonçalves

publicado por turma9a-ap às 17:37

 

A Rua dos Combatentes da Grande Guerra situa-se nas traseiras da Escola Secundária Nuno Álvares, antigo Liceu, entre o cruzamento da Rua Conselheiro Albuquerque e a Rua Pedro da Fonseca. Foi aberta pela Câmara Municipal na década de 40, (entre os anos de 1945 e 1947).
Após a sua construção, foi-lhe atribuído o nome de “Rua Nuno Álvares”.
Por volta do ano de 1950, a Câmara Municipal de Castelo Branco, em homenagem a todos os que lutaram e faleceram na Grande Guerra, mudou o seu nome para “Rua dos Combatentes da Grande Guerra”, que ainda hoje se mantém.
 
 
 
 
João Ascensão
 

 

 

publicado por turma9a-ap às 17:07

19
Out 08

Andreia Caetano

 

Catarina Rodrigues


Claudio Antunes


 Cristiano Lopes


  Elizabete Canilho


  

Geoffroy Herville

 

Hélder Rodrigues


 

João Ascenção


  

Luís Gama

 

Mariana Gonçalves


   

Mariana Lourenço


  

Miriam Saiago


  

Ricardo Barata

 

Sofia Conde 

 

 

 

publicado por turma9a-ap às 19:45

subscrever feeds
arquivos
pesquisar
 
blogs SAPO