Somos alunos da escola Cidade de Castelo Branco, do 9.º ano da turma A. Construímos este Blog com a finalidade de mostrar a nossa sabedoria sobre a História.

20
Mai 09

 No ano de 1961, os meus avós maternos e a minha mãe emigraram para Angola, mais propriamente para a cidade de Sá Bandeira. Aí, o meu avô trabalhava numa oficina de automóveis, onde era encarregado de bate-chapas, e a minha avó era costureira, trabalhando por conta própria. Nos primeiros tempos, sentiam-se estranhos, pois não conheciam ninguém. Com o decorrer do tempo, começaram-se a ambientar aos costumes de lá. Depois de alguns anos, a vida foi correndo melhor e os meus avós resolveram construir uma casa para habitação, com uma área de terreno, onde tinham árvores de fruto.

Em 18 de Outubro de 1975, os meus avós e a minha mãe saíram de Sá da Bandeira, no comboio que ia para Moçamedes, mas tiveram que dormir no comboio, pois a linha estava cortada. No dia seguinte, chegaram a Moçamedes e esperaram umas 6 horas pelo barco, que os transportou nos porões, não tendo condições para dormirem e comerem. Passados 2 dias, chegaram a Luanda. Aí tiveram de ficar no quartel dos soldados portugueses, a aguardar o avião que os transportava para Portugal. Dormiram no chão e a comida era enlatada. À noite é que lhes davam uma concha de sopa por cada pessoa. O pão, o leite e alguma fruta eram distribuídos pelas crianças.  Ao fim de 3 dias, apanharam o avião e chegaram a Lisboa.

Foram recebidos pela família, mas ao fim de pouco tempo a família achou que deviam refazer a sua vida, sem terem emprego, nem dinheiro. Assim, recomeçaram a vida de novo. O meu avô arranjou emprego e, como era um bom operário, ficou logo a trabalhar.

A minha avó também ia trabalhando de costura. E conseguiram ultrapassar as dificuldades com muito esforço e suor.

 

 

 

 

 

 Sofia Conde

 

publicado por turma9a-ap às 22:04

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

arquivos
pesquisar
 
blogs SAPO