Somos alunos da escola Cidade de Castelo Branco, do 9.º ano da turma A. Construímos este Blog com a finalidade de mostrar a nossa sabedoria sobre a História.

19
Mai 09

A guerra civil em Angola A minha tia materna, Maria Antónia, nasceu, na Lousa, o dia 29 de Maio de 1945. O meu tio, Francisco Caetano, nasceu, em Castelo Branco, no dia 24 de Novembro de 1941. Devido a problemas financeiros, o meu tio deslocou-se para Angola, mais propriamente para Serpa Pinto, em 1970. Foi para esta cidade a trabalhar na PSP, pois ganhava mais. Passado algum tempo, a minha tia Antónia, que estava em Portugal, foi ter com ele mais o filho, o meu primo Carlos. Mais tarde, o meu tio tornou-se motorista do Comandante da PSP e os meus familiares ficaram a morar na casa do comandante. A minha tia ficava a guardar as filhas dos donos da casa e tratava das “lides” domésticas. Antes da independência, houve um tiroteio na cidade, entre os diversos partidos angolanos: MPLA, UNITA e FNLA.

Os elementos dos vários partidos decidiram atacar com tiros as moradias, entre as quais aquela onde os meus familiares estavam. Um senhor da UNITA começou a ameaçar o meu tio, para ele prender o cão, se não matava-nos. Os meus familiares e alguns vizinhos fecharam-se todos na mesma casa, na despensa, pois era a divisão mais protegida e escondida. A minha tia, nessa altura, tinha dois filhos pequenos, viu-se ameaça e com medo de morrer, pois os tiros não paravam. Ficaram fechados em casa, cerca de três dias.

Quando o ambiente começou a ficar mais calmo, a população teve de se dirigir para os campos e levar comida. Tiveram de se deslocar em camiões que funcionavam com pregos em substituição da chave. Nos campos, os elementos dos partidos matavam as pessoas de partidos opostos. Foi o que aconteceu com os Aparícios do MPLA que foram massacrados e arrastados para o rio.

Quando os meus familiares regressaram a casa, encontraram-na toda revoltada e quase vazia. Depois, tiveram de se vir embora, com receio de serem mortos pelos partidos, pois estavam em guerra e discriminavam os brancos.

Os meus tios esperaram pelo embarque, em Nova Lisboa, onde havia muita gente para apanhar o voo. Mais tarde, quando regressaram a Portugal, ficaram alojados na casa de uns familiares. Por fim, vieram a saber que o partido que venceu as eleições foi o MPLA.

 

O meu tio com elementos da Polícia, em Angola

 

 

Mariana Gonçalves

publicado por turma9a-ap às 18:13

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

arquivos
pesquisar
 
blogs SAPO